Diretor explica por que Adele usa um celular flip no clipe de “Hello”

A billboard entrevistou o diretor que trabalhou com Adele na gravação de seu novo single “Hello”, que faz parte de seu novo álbum “25”. Xavier Dolan explicou o motivo de ter escolhido um “celular flip” na gravação do videoclipe, fato que intrigou os fãs.

Confira a entrevista traduzida:

Quando o novo single de Adele “Hello” foi lançado na sexta-feira, 23 de outubro, muitos fãs tiveram a mesma pergunta: Porque ela usou um celular flip na gravação?

Com um clipe emocionante e comovente, os telespectadores  não poderiam deixar de notar a peça ultrapassada da tecnologia . Com piadas do tipo “Não é apenas a volta da Adele, mas também a do celular flip” e “Um celular flip Adele? Isso explica sua ausência no Twitter”.

O Diretor Xavier Dolan tem uma explicação simples para sua escolha de usar um celular flip no tratamento visual da música, que é o primeiro single do próximo álbum de adele, o “25′.

‘Eu pude ver os GIFs do Twitter” ele disse ao Los Angeles Time. “E eu estou como, ‘Cara, deixa isso pra lá, não importa’. Mas a verdadeira explicação é que eu não gosto de usar celulares ou carros modernos. Eles estão tão implantados em nossas vidas, que quando você os vê em um filme, você lembra que está na realidade.”.

“Se você vê um iPhone ou um Toyota em um filme, eles são anti-narrativa, e vão levá-lo para fora da história’, continua Dolan. “Se colocar um celular ou um carro moderno em um filme que me representa, estou fazendo um comercial”

Acontece que a cabine telefônica mostrada no vídeo, tem muito mais significado do que a decisão de colocar um celular flip. “Ele mostra que esta encalhado na natureza, que recuperou seus direitos”, diz ele. ‘É um elemento do passado, muito mais importante do que o flip (celular) e tentar identificar se é um Samsung ou um AE9 ou o que quer que seja’.

O vídeo foi filmado em uma fazenda nos arredores de montreal, com o ator Tristan Wilds, como o ex de Adele. Ele é visto por meio de flashbacks no ponto de vista dela.

“Isso é como o ‘conectar com a memória’, o ‘caminhar pela estrada da memória'”, diz Dolan. “Queríamos o corte da Adele em seu presente, para esse cara olhando para ela, e não existir uma versão mais jovem da Adele, de modo que quando você ver esses flashbacks, se sentiria como a ela olhando para trás”.

“Quando ouvi a música, imediatamento eu já tinha uma história, a ideia de levar o telefone e ligar para o passado”, lembra ele.

Matéria: Billboard