[NY Times]: “25” está caminhando para quebrar recordes de vendas

Quando Adele lançou seu novo álbum, “25”, na sexta-feira,  todos sabiam que seria um sucesso instantâneo. A única questão era o quão grande ele seria. Depois de um fim de semana de abertura que incluiu a apresentação de Adele no Saturday Night Live e um especial da BBC, o álbum já estreia fazendo história nas paradas mundiais. De acordo com fontes do setor, ouvidos pela revista Billboard, “25” (XL/Columbia) parece pronto para vender pelo menos 2,5 milhões de cópias somente nos Estados Unidos em sua primeira semana. Isso seria a maior venda semanal para qualquer álbum desde 1991, quando SoundScan – um serviço de rastreamento agora propriedade da Nielsen – começou a coletar dados confiáveis dos varejistas.

No iTunes o “25” vendeu pelo menos 900.000 downloads em apenas um dia, de acordo com a Billboard, e o álbum é número 1# na parada iTtunes da Apple em 110 países. BuzzAngle, um novo serviço de rastreamento que compete com a Nielsen, estima que até sábado passado (21), ou seja 24h depois do lançamento, o álbum já tenha vendido 1,9 milhões de cópias em ambos os formatos, digital e físico.

Um porta-voz da Target, que está vendendo uma versão do CD com três músicas extras, disse que “25” teve as maiores vendas de abertura de qualquer álbum na história da loja.

“Adele é um fenômeno”, disse Keith Caulfield, co-diretor de paradas da Billboard. “Ela se conecta com os fãs, de tal maneira que eles querem investir nela e na sua música.”

Nenhum álbum vendeu nesta escala desde N’Sync (2,4 milhões – “No Strings Attached”) em 2000 – um momento em que as vendas anuais de CD’s eram cinco vezes maiores do que são hoje em dia, e as gravadores se baseavam em grandes lojas como a Tower Records e HMV, que não tem quase nenhuma relevância no mercado atualmente.

O lançamento do álbum reacendeu o debate na indústria da música sobre o papel dos serviços de Streaming como Spotify, a Apple Music e Tidal. Esses serviços tem acumulado dezenas de milhões de usuários pelo mundo, mas foram criticadas por muitos artistas devido ao baixo retorno financeiro e ao efeito negativo que podem ter sobre as vendas.

Adele decidiu não disponibilizar seu álbum em serviços de Streaming, talvez como uma estratégia para preservar a grande expectativa nas vendas. A cantora não comentou diretamente sobre sua decisão, mas na sexta-feira, ela fez um breve comentário sobre o lançamento em suas redes sociais.

“Estou tão emocionada e grata de ser capaz de lançar mais um álbum…” escreveu Adele, “… e entregá-lo da forma como eu quero.”

 

-x- 

Traduzido pela Equipe de Tradução do Portal Adele Brasil.