NFL sobre Adele no Super Bowl: “Ela não precisa de um tigre… ou de um peixe bêbado. Ela tem a voz”

Depois de toda confusão que aconteceu na última semana sobre Adele e o Super Bowl, a NFL resolveu falar sobre o caso. Através de seu site oficial, a Liga publicou o seguinte texto:

“Então Adele passou o Super Bowl. Ou a ela não foi oferecido. Tanto faz o que aconteceu, a cantora de “Hello” não estará performando em Houston, dia 5 de fevereiro.

Isso é ruim demais. Adele deveria teria feito uma intrigante apresentação principal. Fã ou não, Adele tem sido uma estrela em potencial para apelar para uma audiência global, no topo de qualificação para o maior palco do planeta. A cantora britânica deu explicação caracteristicamente franca da razão que ela não iria ser parte do Super Bowl durante o concerto dela no Staples Center em Los Angeles nesse final de semana.

“Primeiramente, eu não estou indo me apresentar no Super Bowl”, ela disse para o show sold-out. “Eu digo, qual é gente, esse show não é sobre música. E eu realmente não posso dançar ou qualquer coisa como isso. Eles foram muito gentis, eles me perguntaram, mas eu disse não”.

Antes de prosseguirmos, gostaria de salientar que Adele parece ser uma pessoa legal. Ela parece muito pé no chão, tem uma boca como a do Bruce Arians e pode, provavelmente, sentar e beber com você. Há um universo alternativo onde Adele e eu somos fortes amigos platônicos que ganham competições juntos no karokê em um boteco por Los Angeles.

Mas eu tenho que discordar com a opinião dela aqui. O show no intervalo do Super Bowl pode ser sobre a música. O artista só precisa ter o manuseio e visão para colocar isso em prática.

Adele é uma cantora em primeiro lugar. Isso é praticamente a totalidade do enorme apelo dela, e eu posso entender por qual razão ela sente que isso faz dela inadequada. É difícil imaginar Adele entrando no campo em um tigre gigante.

Mas você não tem que entrar no campo em um tigre gigante. Katy Perry entrou no campo em um tigre gigante, porque isso é o que você tem que fazer quando você é Katy Perry, Katy Perry precisa do espetáculo. Isso também ajuda a explicar porque o Tubarão é a única coisa que a maioria das pessoas lembra sobre a perfomance dela.

Adele não precisa de um tigre… ou de um peixe bêbado. Ela tem a voz, que é de longe mais poderosa que qualquer recurso visual. Coloque Adele no meio do estádio e deixa a voz dela e as músicas dela comandar o dia. Francamente, isso seria revigorante.

Beyoncé (2013), Prince (2007), e U2 (2002) têm entregue as três melhores perfomances na era pós-2000 dos shows no Super Bowl. Há um fio em comum todos os três: eles eram grandes artistas que abraçaram o espetáculo, mas deixaram as músicas e as perfomances comandar o dia. Não há nenhuma razão que Adele não poderia fazer o mesmo. Talvez ela irá ler isso e voltar atrás. (Não ela não vai.)

Amanhã nós compartilharemos nossa possível lista das atrações do Super Bowl em um mundo pós-Adele. Isso não será um exercício fácil.