Grammy: Como microfones e condutores de áudio podem ter conduzido à fraca apresentação de Adele

Adele foi aplaudida de pé segunda-feira, (15/02), após uma irregular performance marcada por problemas técnicos. E de acordo com pessoas que performam e gravam músicas, ela ganhou cada aplauso por salvar uma apresentação que poderia ter sido muito mais desastrosa. O que os espectadores ouviram enquanto Adele apresentava “All I Ask” acompanhada de um piano acústico, foi um perceptível e áspero som semelhante à uma guitarra, e alguns momentos em que a cantora estava visivelmente fora do tom.

A performance iniciou uma tempestade nas mídias sociais com o desapontamento de que a estrela teria vacilado, o que levou Adele a explicar mais tarde em um Tweet que um microfone que deveria ser usado para amplificar o som do piano caiu sobre as cordas, causando o destoado tinido. O que ela não disse é o quão alto e distrativo aquele barulho provavelmente soou para ela através do monitor de áudio em seu ouvido.

“O que quer que os espectadores tenham ouvido, foi ampliado quatro vezes quando ela ouviu em seu retorno” disse Matt McArthur, diretor executivo da The Record Company, um estúdio de gravação sem fins lucrativos sediado em Boston. “Considerando o que aconteceu, que é uma das coisas mais significantes que poderia ter ocorrido, ela realmente se saiu muito bem.”

“Durante um show ao vivo, músicos usam fones monitores de áudio, essencialmente fones que são customizados para bloquear sons do palco, da plateia e distrações do ambiente, tais como ecos,” disse Robert Gould, um sênior da Berklee College of Music que cantou o hino nacional dos Estados Unidos no Fenway Park em 2014. Enquanto o público está ouvindo o som da performance como um todo através dos auto falantes que o projetam para longe do palco, os fones apontam instrumentos musicais específicos, incluindo a própria voz do cantor, e os leva a níveis que façam com que o cantor se sinta confortável.

“Se houve uma forte distração nos ouvidos de Adele durante a apresentação, isso pode definitivamente tê-la deixado fora do tom, especialmente se ela teve ajustes de nível durante a checagem de som do quanto de piano deveria estar sendo tocado em seus ouvidos,” disse Gould. “Se havia muito do som do piano quando o microfone caiu nas cordas, isso pode ter causado uma distração mental que a jogou fora da sintonia.”

“O volume por si só não seria a única distração. O microfone ao cair e ter contato com as cordas levou o piano a soar de uma maneira anormal,” disse James Donahue, professor de produção musical associado à Barklee. “Nesse caso, isso agregou um zumbido antinatural e mudou a característica do instrumento, que soou mais como uma guitarra. Perfeito para Stockhausen, mas não para Adele.”

“É triste ver isso acontecer, mas um enorme “Bravo!” à Adele por persistir do início ao fim,” acrescentou Donahue.

“Às vezes artistas retiram seus fones durante uma performance caso haja algum problema com o som,” disse McArthur. “Mas isso não teria funcionado no Grammy. Estando há muitos passos de distância do piano, Adele provavelmente não o teria ouvido bem o suficiente para manter-se em sintonia.”

A cantora, em um segundo Tweet após o show, pareceu levar a performance no tranco. “Ela leva isso como ‘essas coisas acontecem’,” disse McArthur. Entretanto, ele acrescentou: “eu posso imaginar que alguém irá perder o emprego.”

Boston Globe, tradução por Gabriela Teixeira – Portal Adele Brasil