ADELE

Foi revelada hoje (03/11), pelo iTunes da Nova Zelândia, a capa do novo single da Adele, ‘Water Under The Bridge‘. A imagem foi retirada do ensaio fotográfico da cantora para sua turnê.

“Water Under the Bridge” será enviada ás rádios americanas no dia 14 deste mês. Ainda não há informação sobre clipe.

Prestes a anunciar shows no Brasil, Adele recebeu ontem (26/10), os executivos da Sony Music do Brasil e do México no backstage de seu show em Miami.

O quadro representando o território Brasileiro foi entregue pelo Presidente da Sony Music Brasil, Paulo Junqueiro, por suas vendas superiores a 2 milhões de discos de seus álbuns lançados no país: “19” (3x Platina, 120 mil cópias), “21” (2x Diamante, 320 mil cópias) e “25” (3x Platina, 120 mil cópias).

Todos eles foram certificados multiplatina, Adele vendeu mais 1,310 milhões de cópias físicas e mais 690 mil cópias digitais no país, enquanto o DVD “Live At Royal Albert Hall” fez história ao se tornar o 1º DVD Internacional nos registros da ABPD (Pro Música) a ganhar a certificação de 6x Diamante (+ 750 mil cópias)!

As informações foram fornecidas pela Sony Music Brasil ao Portal Adele Brasil.

Já finalizando a primeira etapa da turnê ‘Adele Live 2016’ nos EUA, Adele já está prestes a divulgar as datas dos shows para 2017. Os rumores de que a cantora estenderia sua agenda de trabalho de divulgação do “25” para o próximo ano só aumentaram nas últimas semanas, mesmo depois de ter afirmado uma pequena pausa para cuidar do filho.

Fontes afirmam que as datas serão liberadas entre a primeira ou segunda semana de novembro, e com vendas para início de dezembro, seguindo o mesmo esquema do ano passado: anuncio e logos após as vendas oficiais.

Adele demostrou interesse por shows no Brasil na Irlanda no começo do ano, quando pegou uma bandeira do país: “A sua hora vai chegar, eu prometo!“, e em Julho, o Jornal Destak revelou que a cantora estava fechando shows em estádios no país para 2017.

Até então rumores apontam 4 shows (não descartando um extra) no Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre – e outra cidade do nordeste. Lembrando que o Governador de Salvador afirmou que “não descarta shows da britânica na cidade.”, já a cidade de Porto Alegre, foi uma das escolhidas de acordo com o site especializado “POA  Cultura“, que o show aconteceria na Terça-feira, 11 de Abril às 21h.

Além do Brasil, outras cidades da América do Sul, Chile e Argentina devem entrar na rota dos shows.

Quem tem cadastro no site oficial: join.adele.com, tem acesso antecipado a vendas de ingressos.

Por enquanto nada confirmado, mas pode preparar: Adele está chegando! Fique ligado em todas as novidades sobre os shows no país através das nossas redes sociais: Facebook, Twitter e Instagram.

Já temos um nova nova música para promover o álbum “25”! Water Under The Bridge, será o 4º single do disco, depois de Hello, When We Were Young e Send My Love.

Não há confirmação para um novo clipe, mas WUTB será enviadas às rádios em Outubro. Algumas dos EUA já estão tocando. Water foi escrita por Adele e Greg Kurstin, recebendo uma boa resenha dos críticos. A canção é sobre um ponto crítico em um relacionamento, tentando descobrir se o seu parceiro está “com ou sem você” na jornada.

Nos EUA, a música debutou em #70 na Billboard Hot 100 na semana de lançamento do “25”, vendendo mais de 200 mil cópias.

O NRJ Music Awards divulgou a lista de indicados para a edição deste ano da premiação, que acontecerá em 12 de novembro, em Cannes.

A cantora recebeu duas indicações, sendo elas: Melhor Artista Feminina Internacional do Ano, Adele foi indicada junto a Rihanna, Lady Gaga, Shakira, Beyoncé e Sia. Clipe do Ano por seu trabalho com “Hello”.

A votação é aberta ao público e você pode ajudar entrando no site (clique aqui), procurando na lateral esquerda a categoria “Artiste Féminine Internationale De L’ANNÉE” e clicando em “VOTEZ” abaixo da foto de Adele, e o mesmo na categoria “Clip De L’Année” para votar em “Hello”.  Após isso, faça login com o Facebook para validar o voto.

 

O notícia dada pela Adele durante um dos seus shows de que havia sido convidada para performar no intervalo do Super Bowl de 2017 e que recusara é o mais recente lacre da cantora. Ao dizer que o show do intervalo “não se trata de música”, ela diferencia-se de Beyoncé, Bruno Mars e Katy Perry, que são os mais recentes headliners do evento e no qual usaram luzes e espetáculos para chamar ainda mais a atenção para suas músicas em suas performances durante o programa de televisão de maior audiência (Super Bowl). Ela também se diferencia da Rihanna, do Drake, da Carrie Underwood, da Lady Gaga, da Ariana Grande, da Taylor Swift, do Justin Bieber, do Zayn Malik e todos os outros artistas atuais que não foram convidados para o show, embora sejam mais propícios a performar no Super Bowl do que a própria Adele.

Esta notícia eleva o status de Adele ao topo do pódio do mundo pop e, como todas as grandes tentativas da mídia em criar rumores, pode estar aquém da realidade. O NFL e a patrocinadora do show, Pepsi, afirmam que tiveram conversas com vários artistas sobre o evento, mas não fizeram uma proposta à ninguém. O que parece, baseado em matérias anteriormente feitas, normal. O show do intervalo do Super Bowl é produzido em uma estreita colaboração da liga com o patrocinador — fazer uma proposta firme a um artista sem interesse na apresentação, impedindo qualquer conversa acerca do que a essência do show poderia de fato ser ou como esse artista, poderia trabalhar com as várias partes envolvidas, seria uma jogada bem estranha. O Super Bowl é grandioso demais, a ponto de ser necessário um controle bastante rigoroso, e fazer uma proposta a um artista antes mesmo de discutir sobre o show com o tal iria totalmente contra isso.

A declaração da NFL e da Pepsi também faz muito sentido, uma vez que uma hora eles irão ter de fechar com alguém. A fama da Adele é tão grande que quem for escolhido para fazer o show, será visto como uma segunda escolha. Adele pode estar jogando de uma maneira diferente, musicalmente falando, do que muitos de seus “concorrentes”, mas é difícil acreditar que ela não esteja ciente da tentativa da NFL de apaziguar a situação e de que ela será o assunto de uma discussão durante uma evento do qual ela nem ao menos irá participar.

Porém, a questão da NFL ter contatado a Adele é o que faz mais sentido do que até a própria Adele imagina. Sim, o show ultimamente tem focado em artistas pop contemporâneos, do tipo que se presta a pirotécnicas, no sentido figurado ou literal, ao invés de baladas sobre términos de relacionamento. O show do intervalo do Super Bowl pode, atualmente, “não se tratar de música”, mas não há nenhuma razão para que isso seja ou devesse ser permanente. Na verdade, fechar com a Adele seria uma mudança significativa e interessantemente diferente para um show de intervalo do Super Bowl, que ultimamente tem recebido uma grande quantidade de pop-stars cheios de artimanhas e que pode estar preparado para uma grande mudança.

Até porque nenhum show moderno, não importa o quão simples seja, “se trata apenas de música”. Um show de Adele é potencializado por visuais de todos os tipos (sejam as imagens do telão ou os figurinos), e também por conversas com o público, o que, na verdade, foi o que deu início a todo esse assunto do Super Bowl. Talvez não seja a homenagem que a Beyoncé fez ao movimento “Partido dos Panteras Negras” em 2016, ou o leão gigante da Katy Perry em 2015, porém, é algo a mais que vai além da música. É difícil de acreditar que esse seria um show que daria bastante certo no Estádio NRG, em Houston, e diante de mais de 100 milhões de telespectadores, mas mesmo assim: Como um show super bem-sucedido, com um palco tão bem pensado ao ponto de agradar a NFL suficientemente para que a mesma demonstre um certo interesse, Adele pode ser mais parecida com Katy Perry do que ela pensa.

Matéria original – TIME.
Tradução e adaptação: Anderson Junior, Gabriela Teixeira e Ygor Ribeiro

Depois de toda confusão que aconteceu na última semana sobre Adele e o Super Bowl, a NFL resolveu falar sobre o caso. Através de seu site oficial, a Liga publicou o seguinte texto:

“Então Adele passou o Super Bowl. Ou a ela não foi oferecido. Tanto faz o que aconteceu, a cantora de “Hello” não estará performando em Houston, dia 5 de fevereiro.

Isso é ruim demais. Adele deveria teria feito uma intrigante apresentação principal. Fã ou não, Adele tem sido uma estrela em potencial para apelar para uma audiência global, no topo de qualificação para o maior palco do planeta. A cantora britânica deu explicação caracteristicamente franca da razão que ela não iria ser parte do Super Bowl durante o concerto dela no Staples Center em Los Angeles nesse final de semana.

“Primeiramente, eu não estou indo me apresentar no Super Bowl”, ela disse para o show sold-out. “Eu digo, qual é gente, esse show não é sobre música. E eu realmente não posso dançar ou qualquer coisa como isso. Eles foram muito gentis, eles me perguntaram, mas eu disse não”.

Antes de prosseguirmos, gostaria de salientar que Adele parece ser uma pessoa legal. Ela parece muito pé no chão, tem uma boca como a do Bruce Arians e pode, provavelmente, sentar e beber com você. Há um universo alternativo onde Adele e eu somos fortes amigos platônicos que ganham competições juntos no karokê em um boteco por Los Angeles.

Mas eu tenho que discordar com a opinião dela aqui. O show no intervalo do Super Bowl pode ser sobre a música. O artista só precisa ter o manuseio e visão para colocar isso em prática.

Adele é uma cantora em primeiro lugar. Isso é praticamente a totalidade do enorme apelo dela, e eu posso entender por qual razão ela sente que isso faz dela inadequada. É difícil imaginar Adele entrando no campo em um tigre gigante.

Mas você não tem que entrar no campo em um tigre gigante. Katy Perry entrou no campo em um tigre gigante, porque isso é o que você tem que fazer quando você é Katy Perry, Katy Perry precisa do espetáculo. Isso também ajuda a explicar porque o Tubarão é a única coisa que a maioria das pessoas lembra sobre a perfomance dela.

Adele não precisa de um tigre… ou de um peixe bêbado. Ela tem a voz, que é de longe mais poderosa que qualquer recurso visual. Coloque Adele no meio do estádio e deixa a voz dela e as músicas dela comandar o dia. Francamente, isso seria revigorante.

Beyoncé (2013), Prince (2007), e U2 (2002) têm entregue as três melhores perfomances na era pós-2000 dos shows no Super Bowl. Há um fio em comum todos os três: eles eram grandes artistas que abraçaram o espetáculo, mas deixaram as músicas e as perfomances comandar o dia. Não há nenhuma razão que Adele não poderia fazer o mesmo. Talvez ela irá ler isso e voltar atrás. (Não ela não vai.)

Amanhã nós compartilharemos nossa possível lista das atrações do Super Bowl em um mundo pós-Adele. Isso não será um exercício fácil.

Adele decepcionou muita gente ao contar que recusou o convite para cantar no intervalo do Super Bowl. Ela falou sobre os boatos durante um show da sua turnê, no Stales Center, em Los Angeles.

“Antes de tudo, eu não vou cantar no Super Bowl. Quer dizer, veja só, aquele show não é de música. Eu não consigo dançar nem nada desse tipo. Eles foram muito gentis, me convidaram, mas eu disse não”. Ela também aproveitou para chamar de “estúpidos” os rumores sobre uma possível gravidez e para brincar, dizendo que teria um “bebê de queijo”.

No entanto, os dois principais patrocinadores do evento, marcado para o dia 5 de fevereiro do ano que vem, lançaram um comunicado no qual negam que tenham feito o convite oficial à artista.

“O NFL e a Pepsi são grandes fãs da Adele. Nós conversamos com alguns artistas sobre o show. No entanto, nós ainda não fizemos uma oferta formal para a Adele ou qualquer outro artista. Nós estamos focados em organizar um show fantástico em Houston e estamos ansiosos para revelar [a atração] quando for a hora”.

A cantora britânica normalmente recusa convites para cantar em granes eventos. Neste ano, no entanto, ela parece ter aberto uma exceção na regra para cantar no consagrado festival de Glastonbury, no Reino Unido.

Via: HuffPost Brasil.

Depois de se apresentar para mais de 150 mil pessoas no Festival Glastonbury, o foco dessa vez de Adele é o Super Bowl. Rumores apontam a cantora como a mais cotada para se apresentar no intervalo esportivo mais assistido no mundo.

Uma fonte da NFL disse ao The Sun: “Não há ninguém maior no mundo do que Adele agora e os organizadores estão fazendo absolutamente tudo o que podem para tentar convencê-la a participar. Ela esgotou todas as data de sua turnê, todo mundo quer um pedaço dela e eles (organizadores) sabem que podem depositar sua confiança na Adele.”

rollinglasto

O Super Bowl 2017 acontece no mês de Fevereiro, por enquanto não há nenhuma confirmação oficial.

Foi revelado hoje (26), os indicados ao Video Music Awards 2016. Adele, claro, não ficou de fora. A cantora recebeu X indicações, incluindo Vídeo do Ano por “Hello”.

Confira a lista:

Vídeo do Ano – Hello
Melhor Edição – Hello
Melhor cinematografia – Hello
Melhor direção – Hello
Melhor direção de arte – Hello
Melhor Vídeo Pop – Hello
Melhor Vídeo Feminino – Hello
Melhor efeito Visual – Send My Love (To Your New Lover)

error: Este conteúdo pertence ao Portal Adele Brasil. Cópias são proibidas.